quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Coisas de amar e do amor

Depois de algum tempo a viver com o meu amor, é normal que as coisas sejam diferentes.
Não penso nem digo que são piores, porque não o são de forma nenhuma, são apenas diferentes.
Se a convivência diária permanente (estamos há muito tempo quase as 24h do dia juntos) satura, a chegada da nuvenzinha veio mudar ainda mais as coisas entre nós e trouxe mais uma aprendizagem.
Temos os nossos momentos de paixão, mas aquela paixão incendiada da fase de namoro... tenho de assumir que já não existe (pelo menos tão frequentemente).
Mas acho que é normal, faz parte da vida e do nosso crescimento enquanto casal e enquanto pais.
Se há momentos em que sinto alguma saudade "do antigamente"? Claro que sim!
Só que sou apologista de aproveitar o momento presente e criar momentos especiais. Assumo que ainda tenho MUITO que aprender nessa área, a começar por melhorar o meu mau feitio, mas trocaria a minha vida actual pela vida anterior, de namoro e paixão? NUNCA!
Porque o amor que sinto por ele permanece, cresceu, multiplicou-se com a chegada da nuvenzinha. E se a paixão está adormecida.... compete-nos a nós acordá-la!
Até porque o mais importante já eu tenho - saúde, dinheiro para pagar as contas, um tecto para me abrigar, uma filha linda, o amor da minha vida ao meu lado... que mais posso querer?!

Tudo isto porque descobri mais um texto de Mário Quintana que me fez reflectir sobre o amor e que aqui partilho:

"A princípio bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos. Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas. E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo.
Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar a luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista."
Mário Quintana

2 comentários:

Fátima disse...

Este senhor sabe-la toda! ;) Sempre que conseguimos uma determinada coisa queremos logo outra. Somos eternos insatisfeitos!

Bjs

Nuvem disse...

Fátima - ele tem textos realmente bons :)
E é verdade... nunca nos contentamos com o que temos e procuramos sempre mais e (o que achamos que possa ser) melhor.

beijocas

Related Posts with Thumbnails