segunda-feira, 31 de maio de 2010

Parabéns Avó

Hoje farias 90 anos!
Hoje terias seguramente toda a família à tua volta para te mimar e acarinhar como merecias!
Hoje terias ao colo a tua mais recente bisneta, a mais ansiada!
Hoje estarias com "ciúmes" da atenção que se dá aos bebés da família!
Hoje estarias feliz e com os olhos brilhantes de teres a tua família à tua volta e veres como eras amada!
Hoje estaríamos a rir de como tinhas aguentado para a tua festa dos 89 anos!
.....
.....
Mas hoje, só fica a saudade da tua ausência.... mas nem por isso deixamos de celebrar, porque ...
Hoje farias 90 anos e és a MINHA avó!


domingo, 30 de maio de 2010

A primeira separação...

E ontem foi o dia em que tive(mos) de me(nos) separar pela primeira vez da minha(nossa) princesa!

Mesmo sabendo que foi por ser necessário, que ficou com a avó, que é da máxima confiança (quando não "implica" com as "tradições" de aldeia - literalmente do século passado), que era por algo importante, que foi (só) por uma (longa) tarde...custou muito!

Ela ainda é muito pequenina e estar tanto tempo sem ela, sem a poder amamentar, acarinhar... custa muito (imagino quando for para a creche/ama)!

Depois de deixar tudo e mais alguma coisa à avó (incluindo vários biberons com o leitinho da mamã) lá parti com o coração nas mãos...
Mas a verdade é que correu tudo bem, de 2 em 2 horas tinha de ligar a saber como estava tudo, mas parece que ela adorou - pudera, foi só comer, dormir e receber MUITOS mimos da avó!

Claro que tanto mimo da avó, tanta comezaina e sonecas longe da mamã tiveram o seu efeito quando finalmente cheguei... 11h depois!!!
Mesmo tendo acabado de comer como uma rainha (doses "industriais" de leitinho), quando finalmente cheguei foi uma felicidade tal que não largava a maminha da mamã... ela era mamar, eram festinhas, era mimos ao colo... foi uma festa!!!
E foi uma festa em casa da avó, depois no regresso nem se dormiu no carro, tal a ansiedade de estar com a mamã, uma festa em casa dela ... foi só festa até às 2 da manhã!!!
Porque havia que recuperar o tempo perdido a mamar em biberons (arghhhh), ainda por cima em que dava trabalho beber... e por isso foi non stop a sugar tudo o possível - até cair para o lado (3 vezes) e finalmente dormir descansada, na caminha dela, ao lado da mamã dela.

Só tenho a agradecer (muito) o apoio que tive nesta primeira separação, pois a avó da princesa adorou (pelo menos é o que diz) passar o dia com ela, mimar a sua boneca e tomar conta dela - até deu para a ir passear e exibir aos vizinhos!
E agradecer à minha irmã, que prescindiu da companhia da mãe no seu dia de anos para poder tomar conta da neta!

E não, a próxima separação não vai ser só daqui a anos (como dizia o S), mas que vai demorar uns tempos... isso vai!
Mãe galinha? Eu?!
Nahhhhhh!!!

Foto dela a agarrar a mão da avó!

(Im)perdoável...

Pois é... é mesmo (im)perdoável... porque já é dia 30 e eu não disse aqui nada (e nem a bebé serve de desculpa, porque há uma coisa que se chama agendamento...).
Mas dizem que "mais vale tarde que nunca", certo?
E que "o que conta é a intenção"...
Por isso aqui vai...

PARABÉNS MANA!!!

A minha irmã fez ontem (hoje) aninhos... e mais (im)perdoável ainda... celebrou sem a família (mea culpa)...
Mas esteve sempre no meu(nosso) pensamento e espero que tenha tido um bom dia, como merece!!!
Sim, porque depois do último ano, de todas as dificuldade que passou (e superou), ninguém mais do que ela merece ser mimada e apaparicada... e desculpa-me se "apesar de sermos todos grandinhos" não pudeste contar com a família como gostarias.
Sabes que quando celebrarmos vai ser em grande!!!
Mais um beijo enorme de parabéns para a melhor irmã do mundo - a minha!!!
Porque mesmo com todos os seus defeitos, com todas as nossas discussões e maus feitios, não a trocava por ninguém!!!



PS - se quiserem conhecer uma parte do trabalho dela (sim, porque é multifacetada - professora na universidade, tradutora de inglês e francês e...), a de (excelente) criadora de cães, cliquem na imagem e vejam o site dela.
Vale a pena ver e os cães que ela cria são lindos e já com vários prémios (sim, eu devia ter um para a princesa, mas será quando me sair o euromilhões e mudar de casa) e alguma(s) raça(s) única(s) em Portugal (nota-se muito que não percebo nada de cães?)!

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Porque quem tem namoridos assim....

Só porque eu tenho quem me diga isso diariamente...
E mo demonstre a todo o instante...
E é só um dos inúmeros motivos porque eu o amo!

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Prestar atenção...

Eis algo que me diz muito.
Na minha vida raramente encontrei pessoas destas, especialmente nas minhas relações amorosas.
Acho que é(ra) pontaria e encontrava sempre amores que não ligavam nada aos pequenos detalhes, que perguntavam sempre o que queria de prenda sem repararem nos sinais que ia dando...
Mas realmente não há nada melhor que uma pessoa (amigo/namorado/marido/familiar) que presta atenção ao que dizemos, à nossa maneira de ser, àquilo que observamos quando estamos juntos... e se lembra muito mais tarde.
Há algo melhor que sermos surpreendidas com pequenos gestos que demonstra que apesar de todos os "muros" que construímos, todas as máscaras que colocamos, todo o desinteresse que fingimos, a outra pessoa consegue ver mais longe e recordar-se?
Talvez seja defeito meu de prestar muita atenção às pessoas que me rodeiam e fazem parte do meu pequeno círculo...
Talvez seja defeito de procurar surpreender/agradar as pessoas prestando atenção aos detalhes (se bem que o Tico e Teco andem cansados e mais distraídos)...
Talvez seja por não me acontecer muitas vezes cruzar uma pessoa assim...
Mas adoro o pensamento desta imagem!!!

ADENDA: Isto não se aplica (geralmente) ao meu adorado S. que é espectacular nisso!

Imagem retirada daqui

terça-feira, 25 de maio de 2010

Resultado de não dormir...

Adoro a minha filha, que é uma santa e um doce de bebé.
E nem me posso queixar, porque não é uma criança problemática e não dá problemas nem de dia nem (especialmente) de noite.

Mas claro que esta rotina de mamar, brincar, dormir, fazer as suas "necessidades" macaba por se reflectir no cansaço acumulado da mamã (moi).
E se bem que ninguém o note especialmente (a não ser o meu querido S.), pois parece que disfarço bem, ele está cá bem presente e nota-se na falta de memória (esqueço tudo), na falta de vontade para as tarefas domésticas (mas assumo que essa sempre tive), na falta de concentração nas actividades, etc...
Mas acima de tudo nota-se nas "bacoradas" que saem desta boca quando me refiro à princesinha.
Então, depois do já famoso "limpei-lhe a cabecinha com óleo de cedro)... hoje dizia a uma amiga que nos veio visitar que...
"A primeira vez quem lhe cortou as unhas foi o veterinário"...

WHAT?????

Podia ter dito qualquer outro nome de especialidade médica, mas veterinário?!!!
Com a minha princesa??!!!

Aiaiaiaiaiai esta cabeça anda mesmo queimadinha de todo (deve ser a nuvem que está muito perto do sol)...

O que vale é que depois há aqueles momentos em que ela me fez esquecer todo o cansaço...
Como quando está a dormir na barriga do papá com o ar mais feliz do mundo (mesmo se nesta foto não se note isso)... ou quando está a dormir na minha barriga e no meio do seu sono profundo começa a rir e dar gargalhadinhas, sem nunca acordar!!!

Realmente, apesar de ter "veterinários" a cortar as unhas e de lhe limparem a cabeça com óleo de "cedro", a minha princesa é uma bebé feliz e que dá muitas alegrias à mamã, que compensam largamente o cansaço que ela possa sentir!!!
Especialmente quando olho para ela agora, a dormir no sofá ao meu lado, com um enorme sorriso nos lábios (ou sonha que está a comer, ou que esta noite vou penar com ela na conversa em vez de dormir)!

Mas será que ouvi bem?!

Pois é...
Sem querer entrar na analogia fácil da recepcionista burra, não posso deixar de partilhar o que os meus ouvidos tiveram o (des)prazer de escutar na esteticista....

A conversa era sobre a determinação do sexo dos bebés através daqueles métodos "científicos" da agulha, idades dos pais, etc...
Então a menina jurava-me a pés juntos que o teste das idades nunca errava e dava sempre certo se ia ser menina ou menino.
Para provar, pergunta à colega, que tinha acabado de ter bebé, para a ajudar com as idades dela e do marido quando engravidou, pois dependia de o resultado ser par ou impar.
E sai-se com esta pérola...
"31+33 = 74. 74 é par ou impar?"
....
....
....
Juro que nem queria acreditar que tinha ouvido aquilo da boca de uma jovem de 20 e muitos anos...
....
....
....
Fiquei sem reacção, e a colega é que lhe disse se ela não sabia que era par...
E ela nem se descoseu..."é par? então é menina, que foi o que tiveste... viste como dá certo?"

Ainda hoje quando penso nisso, não quero acreditar que foi real!!!

domingo, 23 de maio de 2010

Mais uma imagem que diz tudo...

Porque sim...
Porque eu já encontrei essa pessoa especial, que me faz sorrir todos os dias...
Porque ele merece que saibam o quanto é especial...imagem retirada daqui

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Coisa mais linda...

E ainda dizem que no ventre não se criam laços?
Adorei este vídeo e tinha e o partilhar... coisa mais linda, mesmo que os cépticos achem que foi involuntário.
Ando uma lamechas... fiquei logo de lagrimita ao canto do olho com o vídeo...

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Palavras que merecem ser partilhadas

Vi no blog da For You e não resisti a partilhar.
Porque a maternidade nos(me) faz ser mais sensível a este tipo de mensagens, nos(me) faz ter as emoções à flor da pele, e porque sinto pela minha filha tudo o que aqui está descrito.
E porque a minha mãe foi e é tão importante e marcante na minha vida como espero vir a ser na dela, sem descurar os valores que recebi e espero ser capaz de lhe transmitir!

"Há quatro anos, faz hoje quatro anos, eu estava a arrumar roupinhas de bebé e a dar risinhos com a minha irmã. Estávamos contentes e nervosas, expectantes com este bebé que era só nosso e com quem íamos “poder brincar à vontade”.

Eu e a minha irmã tínhamos esta sensação estranha de que o bebé que eu ia ter pertencia na realidade à nossa mãe. Comentávamos isto e riamos: “Achas que a mãe nos vai deixar andar com ela ao colo o dia todo?”. Na altura, sabíamos da estranheza desta impressão, mas não compreendíamos bem o porquê. Achámos que se devia ao facto de os últimos bebés a que tínhamos tido acesso terem sido os nossos dois irmãos mais novos, esses sim, de facto, os bebés da minha mãe.

Hoje, quatro anos depois, compreendo que não era só isso. A verdade é que eu não sabia ser mãe. A minha mãe sabia. A minha mãe é uma mãe de mão cheia. E eu, inconscientemente, achava que por isso, ela seria a melhor pessoa para ser a mãe do meu bebé.
Eu dizia “a minha filha” e olhava em volta, a tentar perceber se mais alguém achava aquela frase tão estranha como eu. Em segredo dizia-te "és o meu brinquedo". E mais baixinho, "desculpa, eu não sei bem o que estou a fazer".

Não foi automático, nem fácil, nem rápido. Foi trabalhoso e desafiante, como costumam ser as grandes aprendizagens da vida. Foi o que tinha que ser. Tu aprendias a viver neste mundo, eu aprendia a ser a tua mãe. Todos os dias coleccionámos uma nova lição. Até não haver dúvidas e estarmos as duas adaptadas. Mãe e filha.

Gosto de ir avaliando a minha prestação. Faço-o de uma maneira científica e rigorosa.
E então às vezes pergunto-te:

“Gostas da mãe ou queres ir buscar outra ao supermercado?”

(Umas vezes dizes logo Gosto desta, outras gozas-me descaradamente. “Gostava mais de ter outra” e acrescentas alguém que sabes que me vai fazer ciúmes, muitas vezes a avó, mãe do pai. Também já disseste que gostavas de ter dois pais. Eu rio-me e tu também. Sabemos que não tens alternativas. Mãe é mãe. Que se há-de fazer?)


Amanhã fazes quatro anos e eu tento lembrar-me como é o mundo quando temos quatro anos. E ocorre-me que crescer não é mais do que o esticar dos ossos aliado a algum cansaço trazido pelos anos. Não é muito mais do que isso, sabes. Para mim não tem sido.
Eu estou na mesma para aí desde os meus 18 anos. Não mudei muito, sou talvez mais paciente, mais tolerante. Sei mais coisas, descobri mais caminhos. Mas na essência, estou igual. E por isso, te digo: não esperes que os anos te tragam respostas. Confia que aquilo que hoje te parece evidente provavelmente é porque é mesmo.

Um dia vou mostrar-te este texto. Mas só quando fores crescida, se calhar mesmo à beira de teres os teus próprios bebés. E nesse dia vais perceber que ninguém sabe realmente o que fazer. Fingimos, isso sim. E ao fazê-lo aprendemos.
Há coisas que eu faço porque tem que ser, porque é o que é suposto uma mãe fazer. Às vezes consigo aparentar convicção, outras nem por isso.

E aqui te conto alguns segredos.
Eu e o pai, quando vamos às reuniões na tua escola, sentimos sempre que os pais dos outros meninos são amigos dos nossos próprios pais e não pessoas da nossa idade.
E eu, quando falo com a tua educadora, acho sempre que ela me vai mandar vestir o bibe e sentar-me ao pé de ti e dos teus amigos no tapete.

Lembras-te quando pintaste as paredes do corredor a caneta? Fiz uma cara zangada, mas deram-me vontade de rir aqueles rabiscos a menos de um metro do chão pela parede fora.

Outra: Quando eu insisto para comeres a sopa, é mais por uma questão de princípio. Não quero que sejas uma miúda “esquisitinha”. Mas sabes, na maioria das vezes, até nem havia problema se não comesses. Há coisas que eu também não gosto, ou que só aprendi a gostar mais tarde.

Ah. E eu não me importo se não tiveres sempre boas notas.

E acho que quando entrares na escola não devias ter trabalhos de casa.
Eu prefiro que tu tenhas vontade de brincar do que sejas a melhor da turma. Aliás, não precisas de ser a melhor em nada.Se um dia fores a melhor (seja no jogo do elástico ou se ganhares o Nobel da Química) que seja porque o percurso para lá chegar te deu gozo e felicidade e não porque meteste na cabeça simplesmente que tinhas que ser a melhor.

Também não precisas de um dia ter um cargo muito importante. Basta teres um trabalho que te faça feliz e te permita obteres as coisas que são verdadeiramente importantes para ti. Preocupa-te com essas, deixa as outras.
O tempo é mais importante que o dinheiro. A liberdade é carregarmos pouca bagagem. Não stresses, ignora o ritmo do mundo e vive segundo o teu próprio ritmo.
Vais estar muitas vezes rodeada de pessoas chatas. Uma dica: Mantém a tua imaginação fértil e a tua criatividade apurada. São o botão turbo para accionar em caso de emergência: O teu corpo fica, mas a tua cabeça já está a passear. Abana a cabeça com ar afirmativo e diz “Pois” ou “ahã” de vez em quando. Ninguém vai reparar que não estás a prestar atenção nenhuma.

Eu gostava que me respeitasses sempre mas que não tivesses medo de mim. Eu sei que quando fores adolescente vai haver alturas em que terei que te ameaçar com mil castigos e tu me vais desafiar constantemente. Às vezes já o fazes. Mas olha, se um dia estiveres mesmo enrascada, vem pedir-me ajuda. Que eu seja o teu primeiro telefonema. Sempre.
Aconteça o que acontecer, eu estou aqui para te ajudar.
E mantém-te fiel aos teus princípios. Em tudo o que fizeres deves ser honesta, trabalhadora e justa. Educada. Ciente da liberdade dos outros. Tolerante. Boa. Generosa. Feliz.
Tudo o resto são pormenores.

E, olha, dou-te estes conselhos, porque sim.
Porque as coisas que a minha mãe me ensinou ficaram para sempre na minha cabeça.
Mas eu sei que a decisão será sempre tua. Não posso viver por ti.

Eu sou tua, mas tu não és minha. Tu és do mundo.

E, aos quatro anos, o mundo é teu.

Parabéns, meu coração."

Imagem retirada da Internet

terça-feira, 18 de maio de 2010

Mais frases profundas...

Mais uma frase com a qual me identifico completamente:

O maior prazer de um homem inteligente é passar por idiota diante de um idiota que pensa que é inteligente.

Esta também é algo que me faz sorrir sempre, pois é a mais pura realidade:

Dizem-me que existem duas coisas infinitas: O Universo e a estupidez humana!
Tenho dúvidas sinceras no que diz respeito ao primeiro

Na minha vida profissional, ao longo dos anos, tive a oportunidade de colocar repetidamente em prática a 1ª (e como me rio com os que pensam que sou assim), e de assistir incessantemente à realidade demonstrada pela 2ª.

A realidade é que ambas demonstram um facto da vida... e não há nada a fazer, só aproveitar para ... rir!
Imagem retirada da Internet

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Filosofia de Vida

Uma boa filosofia de vida, a adoptar pelas pessoas sábias em face de pessoas "inteligentes":

Muitas pessoas me perguntam:
- O que os velhos fazem quando se aposentam?

Bem, eu tenho sorte de ter uma formação em engenharia química, e uma das coisas que eu mais gosto é transformar cerveja, vinho e outras bebidas alcoólicas em urina...

imagem retirada da Internet

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Ser Mulher

Um fabuloso texto recebido por e-mail (da mamã, só podia)...
Porque somos tudo isto... e muito mais!!!Ser mulher é viver mil vezes em apenas uma vida,
é lutar por causas perdidas e sempre sair vencedora,
é estar antes do ontem e depois do amanhã,
é desconhecer a palavra recompensa apesar dos seus actos.

Ser mulher é caminhar na dúvida cheia de certezas,
é correr atrás das nuvens num dia de sol e alcançar o sol num dia de chuva.

Ser mulher é chorar de alegria e muitas vezes sorrir com tristeza,
é cancelar sonhos em prol de terceiros,
é acreditar quando ninguém mais acredita,
é esperar quando ninguém mais espera.

Ser mulher é identificar um sorriso triste e uma lágrima falsa,
é ser enganada e sempre dar mais uma chance,
é cair no fundo do poço e emergir sem ajuda.

Ser mulher é estar em mil lugares de uma só vez,
é fazer mil papéis ao mesmo tempo,
é ser forte e fingir que é frágil p'ra ter um carinho.

Ser mulher é se perder em palavras e depois perceber que se encontrou nelas,
é distribuir emoções que nem sempre são captadas.

Ser mulher é comprar, emprestar, alugar,
vender sentimentos, mas jamais dever,
é construir castelos na areia,
vê-los desmoronados pelas águas e ainda assim amá-las.

Ser mulher é saber dar o perdão, é tentar recuperar o irrecuperável,
é entender o que ninguém mais conseguiu desvendar.

Ser mulher é estender a mão a quem ainda não pediu,
é doar o que ainda não foi solicitado.

Ser mulher é não ter vergonha de chorar por amor,
é saber a hora certa do fim, é esperar sempre por um recomeço.

Ser mulher é ter a arrogância de viver apesar dos dissabores,
das desilusões, das traições e das decepções.

Ser mulher é ser mãe dos seus filhos e dos filhos de outros e ama-los igualmente.

Ser mulher é ter confiança no amanhã e aceitação pelo ontem,
é desbravar caminhos difíceis em instantes inoportunos
e fincar a bandeira da conquista.

Ser mulher é entender as fases da lua por ter suas próprias fases.
É ser "nova" quando o coração está a espera do amor,
ser "crescente" quando o coração está se enchendo de amor,
ser cheia quando ele já está transbordando de tanto amor
e minguante quando esse amor vai embora.

Ser mulher é hospedar dentro de si o sentimento do perdão,
é voltar no tempo todos os dias e viver por poucos instantes
coisas que nunca ficaram esquecidas.

Ser mulher é cicatrizar feridas de outros e inúmeras vezes deixar
as suas próprias feridas sangrando.

Ser mulher é ser princesa aos 20,
rainha aos 30,
imperatriz aos 40 e especial a vida toda.

Ser mulher é conseguir encontrar uma flor no deserto,
água na seca e labaredas no mar.

Ser mulher é chorar calada as dores do mundo e em
apenas um segundo já estar sorrindo.

Ser mulher é subir degraus e se os tiver que
descer não precisar de ajuda, é tropeçar, cair e voltar a andar.

Ser mulher é saber ser super-homem quando o sol nasce
e virar cinderela quando a noite chega.

Ser mulher é ter sido escolhida por Deus para colocar no mundo os homens.

Ser mulher é acima de tudo um estado de espírito,
é uma dádiva, é ter dentro de si um tesouro escondido
e ainda assim dividi-lo com o mundo!

terça-feira, 11 de maio de 2010

Será que era uma mensagem?

Esta noite a princesa estava com os sonos um pouco trocados (resultado da visita ao pediatra e muita brincadeira de tarde) e custou mais a adormecer do que o normal.

Mas quando a tentava adormecer captámos este momento único...


Será que me estava a querer transmitir alguma mensagem sobre o eu a querer adormecer e ela achar que ainda não era hora?

Hummmm... fica a dúvida!

segunda-feira, 10 de maio de 2010

A saga do frigorífico #2

Na continuação deste post, decidimos preparar a nuvenzinha e em vez de passearmos no jardim começámos a passear em shoppings, procurando as mega lojas de electrodomésticos e os seus "fantásticos preços" e "promoções".

Como já era 4 ª feira e a perspectiva de estar mais uma série de dias sem frigorífico e a estragar iogurtes, manteigas, queijos e restante comida não nos parecia excitante, estávamos dispostos a tomar uma decisão rápida, até porque pensava que iria ser a minha/nossa prenda do dia da mãe!

Preparámos a princesa e, depois de a alimentar bem (que de estômago cheio dorme-se melhor), lá fomos.... para a nossa odisseia de 2 dias...
Resumo:
1º dia - começámos por aquela loja que diz "Eu não sou parvo" em Alfragide e onde constatámos que quem lá compra é mesmo parvo (e tem de ver o acréscimo de preço por entrega)... seguida daquela que tem um elefante como imagem publicitaria e onde a melhor oferta era mesmo um de exibição (e com alguns sinais disso)... a acabar naquela de "Voltem sempre" da Amadora, com muito pouca oferta em combinados (mas com entregas gratuitas)...
2º dia - Mega loja do "elefante", mas com pouca oferta, Mega loja "Voltem Sempre" em que preferi ver mais lojas, Mega loja "Eu sou parvo", Mega Loja "Eu tenho um amigo", que para amigos desses não são precisos inimigos... e finalmente a ida a Oeiras, à loja onde se volta sempre para a compra final!
Lá chegados estávamos (estava eu, há que assumir), indecisa entre 2, um mais em conta e mais pequeno e outro um pouco mais caro e um pouco maior.
Depois de alguma hesitação (minha), escolhi o mais pequeno, só que verificámos que o preço indicado era bem maior que o da loja online ou da(s) outra(s) loja(s) visitada(s).
Fomos procurar vendedores (nunca há quando se precisa) e depois de alertarmos para a diferença de preço e de terem feito o alinhamento pelo site e restantes lojas, começámos a tratar de tudo... mais de 30 minutos de espera ... e a nuvenzinha já a dar sinais de vida (aka, fome).
O que vale é que a avó lá estava para dar mimos e a mamã tinha ido preparada com biberon (ahhhh, passar forme é que nunca).
Consegui tratar de tudo, insistindo para saber se levavam o velho ("sim, claro, está aqui marcado, vê?", dizia a sra) e na entrega rápida (por causa do feriado só na 2ª de manhã... ok), e se havia algo em especial a fazer ("não, eles tratam de tudo, basta que esteja vazio").
Finalmente conseguimos vir embora (demorámos cerca de 45 minutos desde que escolhemos e encontramos vendedor até sair da loja...), mas ao chegar a casa achei que a escolha tinha sido má, pois era bastante mais pequeno que o actual (que para 3 já não é muito grande), por isso liguei logo para a loja para fazer a troca (sim, sou mulher... mudo de ideias rapidamente).
A minha mãe foi logo lá nessa noite (pois eu já não podia sair com a nuvenzinha e o S. já estava a trabalhar), mas para fazerem a troca ela tinha de pagar o novo por inteiro e depois, no dia seguinte, eles devolviam o dinheiro que tínhamos pago pelo outro (claro, claro....)!!!
Em alternativa, o que fizeram foi tratar de tudo para a troca e no dia seguinte eu só tinha de lá ir com os papeis e pagar a diferença.
E bem cedo, para garantir a entrega logo na 2ª de manhã.

Pequeno aparte - parece que o pessoal das caixas não sabe o horário de funcionamento da loja, pois quando a minha mãe perguntou (para saber a que horas lá devia estar), indicaram 8h30 (sem certezas...)!!! A loja abre às 10h!!!

Como a princesa até dorme bem de manhã, ás 10h15 lá estava eu para acabar a troca. E a sra da véspera até tinha deixado "tudo tratado".
Achava eu que me ia despachar.... inocente!!!
Primeiro, a saga de encontrar vendedor... 10 minutos.
Depois a sra disse que apesar de ter lá os papeis como se estivesse tudo tratado, afinal não estava... 15 minutos
Tivemos de iniciar todo o processo de novo... 15 minutos
Depois a entrega já não podia ser 2ª de manhã... aí eu perdi um pouco de paciência e a sra foi ver se podia "abrir uma excepção"... 10 minutos depois, podiam!
Então foi o caminho para a caixa, para fazer o pagamento da diferença e formalizar a troca e tudo. Depois de me deixar na caixa com a indicação que a supervisora já vinha concluir o processo... desapareceu...
30 minutos depois (sim, meia hora!!!), e depois de ter visto passar para dentro da loja a supervisora (20 minutos antes)... e quando já estava a "espumar" (especialmente por pensar na princesa a acordar e não ter de comer) lá aparece a sra... e diz-me "desculpe, não podemos fazer a troca porque há problemas com o ser cartão Cetelem."!!!
Mas eu paguei com MB!!!
Depois de me irritar e de a sra perceber que tinha estado 30 minutos a tratar do processo errado, lá consegui acabar a troca!!!
Já viram o tempo que demorou neste processo?!
E que já estava tratado de véspera - e eu vi os papeis que tinham deixado!!!
Dá mesmo vontade de voltar sempre, claro!!!

Mas não acaba aqui....
Na loja ninguém me indicou (de nenhuma das vezes) que o frigorífico que ia levar deveria estar descongelado! Apenas que deveria estar vazio...
Por acaso ouvi outro vendedor a indicar isso a um casal de mais idade que tinha comprado outro frigorífico... e como tal no domingo lá desligo tudo e esvazio o combinado.

2ª às 13h, tocam à porta - entrega!
Fiquei feliz - finalmente a comida não se ia estragar!
Mas foi sol de pouca dura...
Ao abrir a parte de congelação o transportador verifica que ainda há uma ténue camada de gelo numa das grelhas e recusa levar o combinado "porque lhe ia estragar o material que tinha na carrinha"!
O S. bem argumentou com ele que ninguém nos tinha dito nada, mas ele disse que numa das alíneas da folha mais pequenina que nos deram estava isso indicado - e realmente estava, em letras minúsculas (toma para não seres parva e aprenderes a ler tudinho, mesmo o que parece não ter interesse e te dizem que é só uma formalidade!).
Resultado... como não temos casa para ter 2 combinados, nem possibilidade de levar o velho (sim, que ele deixava o novo e nunca mais vinha buscar o velho, mesmo descongelando o restinho), lá levou de volta o novo!
Fiquei para morrer... há tanto tempo sem frigorífico e não era desta!
5 minutos depois ligam do serviço a cliente, a saber o que se passara e para marcar nova entrega... para 5 dias depois!!!
Lá reclamei, que o serviço tinha falhado ao não indicar tudo, que não se podia agir assim e eles por lei tinham de levar o velho, etc, etc...
A sra ao telefone ainda me diz... "sabe, é que já aconteceu estragarem-se os LCD todos das entregas por causa de uma descongelação, por isso é que agora não levam"... ou "ainda se a entrega fosse ao final do dia eles levavam, porque a carrinha ia vazia, agora assim não dá..." e outras pérolas de sabedoria similares...
Resumindo, depois de muito refilar/suplicar/explicar... lá consegui nova "excepção" (sim, porque eu é que recusei a entrega) e marcaram para o dia seguinte.
Finalmente chegaram e entregaram o novo, levando o antigo (que a minha querida D. F. tinha limpo escrupulosamente e tirado qualquer amostra de água/gelo, para que não recusassem levar).

Mas acham que o filme acaba aqui?
Nããããoooooo
É que os srs indicaram que tínhamos de guardar a GIGANTESCA caixa de cartão onde vinha o novo combinado durante 15 dias!!!
A caixa, o esferovite, os plásticos e cintas... tudo!!!
Acham normal?!
Numa casa pequenina, com pouco espaço para nós ter de guardar aquela coisa toda?!
Porque se em 15 dias avariasse eles tinham de levar com tudo!
Mas isto é normal?!
Ainda se fosse um aspirador ou máquina de café compreendia... mas um combinado?!
Nem do forno eléctrico que tivemos de comprar nos disseram isso...

Realmente, depois de toda a odisseia só vos digo que o forte deles é mesmo o preço, mas o slogan da marca deveria ser "Não voltem nunca"... porque o serviço é do pior que pode existir (da loja às entregas)!!!

domingo, 9 de maio de 2010

Isto só a mim...

Na sexta-feira o S. teve uma enorme dor de dentes... nem dormiu...

Depois de uma consulta de emergência no dentista e de termos tratado de alguns assuntos pendentes, demos por nós ás 14h15 sem almoço e ainda a passear com a princesa.
Como ele não podia comer nada sólido ou quente e já era tarde para ir para casa cozinhar algo, decidi ir comprar comida a um pronto-a-comer que existe perto de casa da minha mãe, a caminho de nossa casa.

Paramos lá e enquanto ele ficava com a pequenita eu vou ver o que há de comidas "moles" para ele comer algo, pois estava há muito tempo sem comer por causa das dores.
Pergunto à sra que estava ao balcão o que tinha para comer nesses moldes e venho cá fora para ele escolher.
Regressada à loja e quando ia pedir, verifico que não tem pagamento com MB (o que, diga-se, neste tipo de negócio não é nada prático).
Digo à vendedora, que estava a acabar de atender outra sra, que ia rapidamente ao lado levantar dinheiro, ao que ela diz OK.
O banco era mesmo ao lado, e por sorte não havia ninguém, por isso rapidamente levanto dinheiro e regresso, até porque era tarde e daí a pouco a princesa acordava para reclamar o seu almoço.
Chegada à loja... SURPRESA!!!
Bato com o nariz na porta!!!
Tinham fechado!!!
Bem bati à porta, que ... nada!!!

Decididamente o negócio deve correr bem, para uma pessoa avisar que tem de levantar dinheiro para pagar a encomenda que vai fazer e lhe fecharem a porta na cara!!!

Para a próxima faço-me de parva e encomendo tudo. Quando for para pagar digo... não tem MB?! Nem sabia! Vou só ali levantar dinheiro e já volto....
A ver se aí continuam a fechar a porta na cara!

Haja paciência e dinheiro para negócios assim, com pessoal cheio de vontade de vender!!!

Eu bem digo que ando com sorte na qualidade do serviço que apanho!!!
Imagem retirada da internet
(e se retirar o sorriso e o cozinhado que exibe... parece a sra que estava a atender...)

sábado, 8 de maio de 2010

A saga do frigorífico #1

Este post também se poderia chamar "como voltei a ser loira", ou "nunca mais voltem", mas ficaremos pela saga do frigorífico.
O que se passou?
O meu frigorífico (a que chamaremos combinado daqui em diante, para ser mais coerente - e que era similar ao da imagem) andou imenso tempo a fazer gelo na parte de cima... parecia um glaciar onde os iogurtes e latas se iam encaixar.
Como boa preguiçosa que sou , nem ligava muito, mas quando o glaciar começou a ameaçar tomar conta da prateleira lá decidi tirar aquele gelo todo.
Claro que nunca pensei que poderia haver algo errado com ele, nem em chamar alguém... isso era ir além do que poderia pensar.
Depois de uma limpeza a fundo e descongelação, lá fiquei com a parte do frigorífico sem glaciar!
Também fiquei sem luz interior, mas nem liguei... para variar continuava na minha santa inocência que tudo estava bem!
Claro que uns dias depois já novo glaciar se formava - e eu continuava a nem ligar!!!
Mas o melhor vem depois - o glaciar começou a descongelar!
Isto é, começou a desaparecer!
Acham que esta alminha se lembrou, nessa altura, de ver o que se passava?
Não!!!
Simplesmente achei que se tinha "milagrosamente" composto (e é aqui que entra a parte do "loiraaa")!
E ainda andou assim umas largas semanas... até que... toda a comida que comprara para o mês se começou a estragar.
Eram os queijinhos para as saladas do S. que semanas antes de expirar a validade se estragavam, a sopa que nem 2 dias durava, os restos que se estragavam ao fim de 2 3 dias, a água que não refrescava... tantos sinais... e eu continuava a ignorar tudo (santa inocência).
Até que, finalmente, o S. se apercebeu que pura e simplesmente não estava a funcionar!
Nem fresco estava e o que "conservava" era pelo frio do congelador em baixo (esse sim, a funcionar sem problemas).
Lá conseguimos arranjar alguém para vir ver o que se passava... e só demorou 2 dias a vir!
Claro que o sr entrou pela porta, olhou para o combinado, abriu a porta, ouviu o que se passara com o glaciar e deu o seu "orçamento" - 150€ de reparação!
Era uma fuga de gás que causava o glaciar e o gás tinha acabado. Tinha de se procurar a fuga e reparar, e mesmo isso demorava mais 5 dias.
Mas ele também sugeriu logo que por esse valor e atendendo à proveta idade do combinado (13 anos), era se calhar melhor comprar um novo, que embora mais caro que a reparação seria mais recente, já com novas tecnologias, e hoje em dia tinham bons preços e boas garantias (e que coma bebé seria uma boa opção).
Ainda acrescentou que até tinha pena de sugerir isso, pois o combinado era muito bom e estava em excelente estado (para a idade), mas efectivamente com uma fuga de gás nunca se sabia... blablabla...
Ahhhh, e por tudo isto, que demorou menos de 5 minutos, cobrou a módica quantia de 25€ (dedutíveis na reparação, se optássemos por ela), mas precisava de ajuda a carregar o combinado se o fossemos reparar...

Enfim... depois de muito pensarmos (eu, porque o S. decidiu logo que realmente era melhor um novo, com garantia e sem problemas), lá decidimos que seria melhor mesmo substituir o combinado por um novo (com grande pena minha, que adorava o meu, até porque foi a primeira compra para a minha primeira casa, e era enorme - para mim, claro) e começámos a pesquisa.
Mas isso fica para outro post (o do "nunca mais voltem")...

Resta dizer que tudo isto se poderia evitar se aqui a "loira" tivesse logo chamado alguém quando se começou a formar o "glaciar", em vez de achar piada a ver o seu crescimento e como as coisas se iam encaixando no gelo!
Ou se em vez de deixar estragar umas dezenas de euros em comida tivesse pensado que não estava a refrescar (sim, porque mesmo vendo que a água não esfriava, só pensava que andava a beber tanta água que nem lhe dava tempo para isso... dahhhhh).

Enfim... vivendo e aprendendo!!!
Imagem retirada da Internet

quinta-feira, 6 de maio de 2010

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Eu tive um destes...

Anda a circular agora na net o primeiro computador escolar que alguns de nós tivemos (no nosso tempo - e como me soa mal isto...).
Para dizer a verdade eu usei uma coisa destas, mas nunca tive a sorte (ou azar) de ter um destes na escola... é mais do tempo da minha mãe.

No entanto isto (este mail que circula e este "PC" do antigamente) faz-me pensar para onde caminha a nossa educação e a nossa escola.
Ainda por cima, agora com a nuvenzinha, penso cada vez mais nisto, e nos riscos da Internet e da acessibilidade da informação (boa e má).

Sou apologista das novas tecnologias e tenho a noção (eventualmente errada) de que a minha filha mais depressa vai saber escrever no PC que num caderno... mas os predadores que rondam a net, os virus, hackers e afins... são coisas que me assustam e ela ainda nem 3 semanas tem!
Por vezes dou por mim a pensar como era fácil viver no "antigamente", no tempo do "PC "dos meus pais... sem o acesso facilitado dos pedófilos às crianças (pelo menos não haveria tantos e tão conhecidos... digo eu), sem hackers, sem todos os problemas que as novas tecnologias trouxeram (ou divulgaram).
Mas a verdade é que quando penso nisso penso igualmente que não se pode fugir do avanço tecnológico e de todas as vantagens e desenvolvimentos que traz, e que me compete a mim, e ao S., saber educar a nossa filha, saber estimular o seu conhecimento com "PCs" como o da avó, com jogos música e livros, com passeios, arte, cultura e acima de tudo com regras para TV e informática - ou seja, com amor mas com disciplina!

Ela terá o seu PC quando for para a escola, (se calhar antes disso já saberá usar o nosso), provavelmente usará a máquina de calcular mais do que eu desejaria, mas compete-nos a nós (e não só aos professores), fazer com que a inteligência dela seja trabalhada fora da escola, compete-nos a nós fazer com que a aprendizagem dela seja diária, seja feita de vivências e experimentação e não de TV e Internet.

É giro pensar nisto agora, pois parece ainda faltar muito para que ela comece a usar estas tecnologias, mas eu sei que o tempo passa a voar (bolas... já quase passaram 3 semanas e parece que foi ontem que ela mudou de casa), e o "PC" da avó (acima ilustrado) é algo que ela vai usar rapidamente - sim, que há que começar pelo original para depois passar para as novas tecnologias!

terça-feira, 4 de maio de 2010

Hoje estou assim...

Ontem recebi esta imagem, e ilustra bem o meu estado de espírito de hoje (além de homenagear uma das minhas bandas desenhadas/cartoons preferidos de sempre)!
Imagem retirada da internet

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Parabéns avô


Hoje seria o dia de anos do meu avô.

Tenho pena de ele não poder ter a bisneta ao colo nem nunca me ter visto ou conhecido o meu grande amor, mas fico feliz por saber que ele está bem, a olhar pela família e que deve estar a babar a ver a bisneta linda que tem e a felicidade da neta!

Mas fico feliz pelos anos que tive com ele, pelos valores que me transmitiu, por sempre me ouvir e aconselhar e por além de ser meu avô ser meu padrinho.

E, charmoso até ao último minuto, nunca descurou (nem a minha avó deixaria) a sua imagem e elegância, como podem ver pela foto em que estão os dois comigo e com o meu irmão ao colo.

Por tudo isto, pela pessoa que foi e pelo que representou na minha vida (e na de todos os que com ele privaram), seria impossível deixar passar em branco esta data, sem pelo menos dizer - PARABÉNS AVÔ!!!

Hoje seriam 98 anos - e nunca te vou esquecer!

E prometo que, mesmo sendo através de fotos e histórias contadas, a tua bisneta vai saber a pessoa fabulosa que era o bisavô dela e como estaria hoje orgulhoso dela!

Mais uma imagem que diz tudo...

Mais uma imagem retirada daqui, que diz muito sobre a minha filosofia de vida!


Porque não me importa o que os outros fazem, dizem ou são, importa-me ser o melhor que posso e consigo ser.
E por isso é comigo que tenho de competir, e não com os outros ou com o mundo, mesmo que assim pareça que tem de ser!
E se sei que dei o máximo, o meu melhor, que tentei até ao limite ( e muitas vezes para além dele), fico bem e feliz!

domingo, 2 de maio de 2010

Quem tem namoridos assim... #2

Realmente já não se fazem homens assim!!!

Para quem não se lembra, há muito tempo tinha falado nisto...

Apesar de não ser fã de pulseiras, acho piada a estas, no sentido de se poder fazer uma jóia de família, em que cada peça teria a sua história.
Sim, porque não encaro este tipo de peças como algo que tenha de se completar a todo o custo (conheço tanta gente que quando recebe uma não descansa enquanto não a completar), mas sim como algo em que cada peça deve reflectir algo, um momento único, uma pessoa, uma situação/ocasião, um sentimento...
E o meu amor hoje deu-me a minha pulseira, no meu primeiro Dia da Mãe, com 2 peças LINDAS de morrer, que representam a nossa princesinha - o carrinho de bebé e a botinha de menina.

ADOREI!!!
O gesto dele, o carinho, o ter-se lembrado que queria uma coisa assim (mesmo que nunca o tenha confessado abertamente a ninguém), o ter procurado as peças ideais para a data e para começar a nossa história, o ter esperado pela meia-noite para me dar a prenda (para iniciar em grande este dia)...

Realmente já não se fazem namoridos assim!!!
E é por isso (e por tantas outras coisas mais) que é o homem da minha vida e o meu grande amor!!!

Eis uma imagem da prenda do dia da mãe que ele me deu:

PS - não me esqueço que a princesinha pediu à avó que lhe comprasse a minha prenda "da parte dela". Um lindíssimo relógio do Dia da Mãe, para a colecção da mamã dela, que está cada vez mais descurada (outros "valores" se elevam...).
E que, para variar, este ano até era muito bonito e "usável".
Obrigada também à avó da nuvenzinha!

Feliz dia da Mãe

E hoje é o nosso dia (sim, este ano posso dizer "nosso").
Um dia especial, para mulheres especiais.
Porque hoje em dia compreendi, finalmente, que é preciso passar pela experiência da maternidade para perceber como nos muda (e ainda só passaram 15 dias!).

Neste dia especial, não podia deixar de desejar tudo de bom a todas as mães, mas com um especial carinho pela minha, assim como pela minha madrinha e pela minha prima B.

E dedicar este poema de Drummond de Andrade a todas elas, com uma lembrança especial pela minha avó (de quem me lembrei ao ler o poema), e com a imagem que a minha mãe adora (sim mamã, um dia tiro uma foto assim com o pé da pipoca).

Não vale a pena repetir o quanto estas mães e mulheres (mãe, madrinha e avó) me marcaram e influenciaram na vida, pela sua força, coragem, valores, exemplo de vida... por tudo!
E o quanto são importantes na minha vida, cada uma à sua maneira especial e única.

Só espero vir a ser tão bom exemplo para a pipoca como elas foram e são para mim (e para a minha irmã que não esqueço nunca).

FELIZ DIA DA MÃE!!!



Related Posts with Thumbnails